Início Como importar Como Compra no Paraguai: O Guia Absolutamente Completo

Como Compra no Paraguai: O Guia Absolutamente Completo

0

Fazer compras no Paraguai tem se tornado muito comum, principalmente pelos baixos preços encontrados no país, seja para consumo próprio ou para revenda.

Já se foi o tempo em que todo produto comprado no Paraguai era sinônimo de falsificação.

Graças ao desenvolvimento de várias iniciativas comerciais, hoje podemos encontrar lojas com produtos originais das melhores marcas do mundo. Mas, claro, ainda podemos encontrar os falsificados.

Então, se você pretende fazer compras no Paraguai, muitos cuidados devem ser tomados para que não caia em algumas ciladas ao visitar nosso vizinho.

No artigo de hoje, vou dar dicas importantes para você fazer suas compras no Paraguai com segurança, para não ter problemas com a Receita Federal e para não sofrer nenhum golpe e acabar tendo uma grande dor de cabeça.

Como chegar no Paraguai?

Compras no paraguai

Existem várias maneiras de chegar ao Paraguai. As mais comuns são carro, ônibus e avião.

Quem vai de carro deve saber que o trânsito por lá é caótico e não há estacionamento (adequado), além de haver muitos boatos de roubos de carros.

Você pode até ir, mas recomendo que deixe o carro em Foz do Iguaçu, cidade que faz fronteira com o Paraguai. De lá, pode pegar uma van ou ir andando mesmo.

Se você pretende ir ao Paraguai, não deixe de aproveitar as Cataratas do Iguaçu e suas atrações turísticas.

A cidade mais procurada pelos brasileiros é sem dúvida Ciudad del Este, que fica bem perto de Foz do Iguaçu.

A principal ligação entre Brasil e Paraguai na região é a Ponte Internacional da Amizade, que tem 550 metros.

O trajeto pode ser feito à pé, de carro, moto, transporte turístico ou ônibus de transporte público urbano.

Não é preciso visto para visitar o Paraguai por até 90 dias. Basta você ter consigo um documento com foto (carteira de identidade, CNH ou passaporte), obrigatório a todos, inclusive crianças de qualquer idade.

Serão recusadas cópias autenticadas ou documentos como carteiras profissionais.

Menores de 18 anos deverão estar acompanhados pelo pai e pela mãe e, no caso da ausência de alguma das partes, deverão portar uma autorização judicial assinada pelo ausente.

Cada lado da ponte tem sua respectiva aduana, do Brasil e do Paraguai, onde pode haver fiscalização de entrada e saída de pessoas e de produtos.

As compras feitas em Ciudad del Este e trazidas para o Brasil são regularizadas na aduana do lado brasileiro.

Caso você leve algum eletrônico, como máquina fotográfica, celular ou computador para o Paraguai, é importante ter consigo a nota fiscal de cada produto.

Assim, caso a aduana brasileira encrenque com algum deles, você pode provar que os comprou no Brasil.

Se você não tiver a nota fiscal, deve declarar os bens de fabricação estrangeira na aduana antes de sair do Brasil, utilizando a Declaração de Saída Temporária (DST).

Isso vai assegurar o retorno desses bens ao Brasil sem pagamento de impostos. O mesmo procedimento deve se adotado caso leve consigo bens para serem consertados ou trocados no Paraguai.

Na sua primeira viagem, recomendo que você contrate uma agência de turismo local.

Em Foz do Iguaçu tem a Loumar Turismo, por exemplo, que oferece diversos pacotes para as melhores atrações em Foz do Iguaçu, incluindo transporte de ida e volta e indicações de lojas confiáveis.

Regras de tributação para compras no Paraguai

Regras de tributação para compras no Paraguai

A Receita Federal cobra impostos para compras em viagens terrestres também. O valor máximo de isenção é de US$300, e sobre todo valor que ultrapassar esse limite, será cobrado um tributo de 50%.

Atualmente, a Receita Federal está cadastrando as pessoas que entram no Paraguai para realizarem suas compras.

Cada visitante tem direito de comprar no Paraguai uma vez por mês com essa isenção.

Ou seja, mesmo que a pessoa não atinja os US$300, se ela for constantemente ao Paraguai (2 ou 3 vezes ao mês), será taxada.

Ao voltar para o Brasil, logo depois de atravessar a Ponte da Amizade você encontra a aduana brasileira, onde pode regularizar as suas compras com o registro e o pagamento do imposto.

Se for o caso, na própria aduana existe uma agência bancária onde esse pagamento é realizado.

Para regularizar as suas compras, você terá que fazer a Declaração de Bagagem Acompanhada.

Com ela, a pessoa declara o que comprou e, se estiver dentro da cota, não precisa pagar nada.

Você pode baixar o formulário para Declaração de Bagagem Acompanhada neste link.

É importante que você solicite a nota fiscal em toda compra realizada no Paraguai, para utilizá-la na regularização.

A cota é de US$300 por pessoa em cada mês. Porém, além do valor, é importante procurar as regras de quantidade e características dos produtos que podem ser comprados.

Para entender os detalhes, leia o Artigo 33.

Já o imposto é calculado em “50% sobre o valor tributável dos bens”, ou seja, calcula-se 50% sobre o excedente à cota.

A título de exemplo: US$500 em compras excedem em US$200 a cota de R$300; assim, o imposto será de US$100, equivalente a 50% de US$200.

Menores, acompanhados ou não, também têm direito à cota de isenção.

Não entram na cota roupas e outros artigos de vestuário, produtos de higiene, beleza e maquiagem e calçados, se comprados para uso próprio, ou seja, em quantidade e qualidade compatíveis com a duração e a finalidade da sua permanência no exterior.

O que é proibido de se importar do Paraguai:

  • Bens cuja quantidade, natureza ou variedade revelem intuito comercial ou uso industrial;
  • Automóveis, motocicletas, motonetas, bicicletas com motor, traillers e outros veículos automotores terrestres;
  • Aeronaves e embarcações de todo tipo;
  • Motos aquáticas e similares e motores para embarcações;
  • Cigarros e bebidas fabricados no Brasil destinados à venda exclusivamente no exterior;
  • Bebidas alcoólicas, fumo, cigarros e itens semelhantes, quando trazidos por viajante menor de 18 anos;
  • Substâncias entorpecentes ou drogas;
  •  Bens ocultos, com intuito de burlar a fiscalização;

Mais do que uma obrigação, é também um respeito a si próprio, como turista, que a regularização seja feita conforme a lei.

Produtos que não estejam regularizados estão sujeitos a fiscalização no aeroporto e nas rodovias da região.

Fique atento também à variedade dos produtos. Não compre mais do que 4 a 10 peças do mesmo produto, pois isso pode caracterizá-lo como revendedor.

Quantidades por tipo de mercadoria:

  •  Componentes de informática, exceto memória: 01 (um item);
  • Memória para computador: 02 (dois pentes);
  • Eletrônicos: 02 (dois itens);
  • Brinquedos: 15 (quinze) itens, sendo no máximo 03 (três) de cada modelo;
  • Bebidas destiladas ou fermentadas: 12 (doze) garrafas ou litros;
  • Artigos de bazar: 15 (quinze) itens;
  • Instrumentos elétricos: 02 (dois) itens;
  • Relógios: 05 (cinco) itens;
  • Instrumentos musicais: 01 (um) item;
  • Vestuário: 12 (doze) itens no total, sendo 03 (três) de cada peça;
  • Perfumes e cosméticos: 05 (cinco) itens no total, sendo no máximo 03 (três) de cada tipo.

Antes de adquirir produtos sobre os quais tenha dúvida quanto à legalidade de entrada no Brasil — normalmente regidos por legislações específicas —, tais como remédios, plantas (sementes e mudas) e armas, entre em contato com as autoridades competentes e obtenha todas as informações necessárias.

Vídeo explicativo: Dicas sobre compras no Paraguai e a Receita Federal

Dicas importantes

Não traga bebidas, cigarros, drogas e afins. Mesmo que bebidas e cigarros não sejam proibidos, eles chamam muita atenção da Receita, além de alguns desses produtos serem ilegais para revenda.

Então é melhor não arriscar. Não burle a Receita! Não retire etiquetas de produtos nem os esconda em partes especiais do seu automóvel.

A Receita Federal é um dos poucos serviços públicos brasileiros que realmente funciona.

Se não estiver disposto a passar por todo o processo de ir até o Paraguai comprar, recomendo então que importe da China.

Se não sabe como importar da China, procure mais sobre o assunto no artigo sites de compras da China.

Cuidados na hora de fazer compras no Paraguai

Quando fizer sua primeira visita ao Paraguai, tome muito cuidado com os picaretas que tentam passar a perna no consumidor, vendendo produtos falsificados, recondicionados ou com preços abusivos.

Em Ciudad del Este há uma grande divergência nos preços. Você pode encontrar lojas que vendem um notebook por US$600 e outras que vendem o mesmo notebook por US$1.200.

Não existe lei no Paraguai que caracterize abuso de preços! Isso quer dizer que se você comprar sem pesquisar, o azar é seu.

Outra coisa: Evite a todo custo comprar de lojas pequenas e vendedores de rua, pois é aí que funciona a máfia da enganação.

Golpe 1: Você entra em uma dessas lojas e o vendedor oferece um produto dizendo: “esta marca é a melhor”, “você não vai encontrar este produto pelo mesmo preço”, “este é um preço especial” ou “é o último lançamento tecnológico e seu preço nas outras lojas é bem maior”.

O vendedor pode oferecer um bom desconto e até um “belo brinde” para que você fique satisfeito com a loja. No final do teatrinho todo, você sai agradecendo ao pilantra e achando que fez um baita negócio.

Mas a decepção não demora. Na loja seguinte, você vê o seu produto em uma estante de exposição com o preço bem abaixo do valor que pagou “com desconto”.

Golpe 2: Você procura um produto da marca X. O vendedor diz que tem o melhor, a um ótimo preço. Você até fica animado e pede para ver o produto, mas o vendedor enrola, fala com fulano e liga para cicrano para buscar o produto.

Desconfie: ele pode não ter o produto e tentar empurrar outro genérico, inventando várias vantagens. Mentira, óbvio.

Regra básica: nunca compre sem ver (e testar) o produto. Jamais saia da loja sem abrir a embalagem e conferir o que está dentro.

Golpe 3: Muito cuidado para não comprar produtos refurbished (recondicionados), ou seja, equipamentos com defeito que foram consertados para ser vendidos novamente.

Vou explicar melhor: quando um cliente compra um aparelho e ele apresenta algum defeito imediato, o produto retorna à loja e depois é encaminhado para a fábrica, onde é consertado e ganha nova garantia pelo fabricante.

Assim, ele pode ser repassado para uma loja, mas como um produto refurbished.

Por conta disso, o produto refurbished tem seu preço cerca de 15% a 30% mais barato do que um novo, mas pode até ter tanta qualidade quanto um aparelho novo.

Como identificar um produto refurbished

É muito simples identificar um produto refurbished.

Veja alguns exemplos:

  1. Quando o produto é recondicionado pela fábrica, você pode identificá-lo através de uma etiqueta com a descrição “refurbished” ou a sua caixa pode trazer a letra R ou RB.
  2. Outra maneira fácil de identificar essas mercadorias é comparar o número de série do aparelho com o número de série da embalagem. Se eles divergirem, vá a outra loja.

Há muitos lojistas espertinhos que vendem esses tipos de produto como novos, principalmente no Paraguai.

Desconfie de produtos novos vendidos com preços abaixo do mercado.

Depois, caso você caia em golpes, não adianta reclamar. No Paraguai, não existem leis de defesa do consumidor nem nada que obrigue a loja a devolver o seu dinheiro ou a trocar o produto por outro.

Você só perderá o seu tempo, se quiser montar um processo. No final, não dará em nada.

Além disso, sempre tome cuidado com os seus pertences, não dê bobeira nas ruas com um monte de sacolas nas mãos.

Só compre dos vendedores ambulantes se seu objetivo for achar produtos falsificados, não importa o quanto eles garantam que a mercadoria é original.

Como pagar: real, dólar ou cartão de crédito?

As lojas no Paraguai aceitam três tipos de moedas: guarani, real e dólar. Apenas as grandes lojas aceitam cartões de crédito, e na maioria das vezes cobram uma taxa de 5% a 10% do valor da compra.

Portanto, se optar por pagar por cartão de crédito, além de pagar uma taxa de câmbio que pode ser maior do que a taxa cobrada aqui no Brasil.

Também essa taxa de 5% a 10% sobre o valor final da compra, além ainda do IOF de 6,38%. Só isso já eleva muito o custo.

Lembre-se: se você está comprando em terras paraguaias, a cobrança no cartão de crédito deverá ser feita em guaranis.

O real é aceito em quase todas as lojas paraguaias, mas comprar com dólares continua sendo mais vantajoso.

Nas casas de câmbio aqui no Brasil, você pode comprar dólar e levar na viagem. Comprar em espécie é a melhor maneira de pagar mais barato nas sua compras no Paraguai.

em espécie é a melhor maneira de pagar mais barato nas sua compras no Paraguai.

Você pode procurar uma casa de câmbio na sua cidade ou deixar para comprar em Foz do Iguaçu, onde a troca é ainda mais rentável, e você evita possíveis fraudes cambiais.

Lojas para visitar no Paraguai

Lojas no Paraguai

Como saber se uma loja é confiável ou não? O medo de perder dinheiro, comprar um produto falsificado ou ser enganado assombra a muitos.

Para resolver esse problema, busque sempre informações sobre as melhores lojas no Paraguai.

Você pode pedir orientações à sua agência de viagens ou buscar referências na internet.

Já pensando nisso, eu resolvi listar algumas galerias e lojas que se destacam por serem reconhecidas entre turistas e compradores.

No Shopping del Este, você vai encontrar de tudo: lojas de eletrônicos, informática, perfumes, brinquedos, bolsas, roupas e artigos esportivos.

Esse shopping fica ao lado do lugar onde os ônibus e vans costumam parar, logo depois da ponte.

A Compubras e a Naveshop são duas lojas famosas onde você vai encontrar vários produtos de informática, inclusive da Apple.

A Casa China tem de tudo, bem como a Casa Nippon e as Americanas.

Também há várias lojas de departamento com produtos de todos os tipos, como brinquedos, artigos de decoração e eletrônicos.

A galeria Sax é uma das mais famosas da região. Lá você encontrará artigos de luxo como relógios, óculos, bolsas, sapatos e acessórios em geral das marcas mais famosas do mundo:

  • Ferrari,
  • Nautica,
  • Dior,
  • Armani,
  • Diesel,
  • Calvin Klein,
  • Dolce & Gabbana,
  • Boss,
  • Polo, Ralph Lauren
  • e mais um monte de opções, todas originais.

No shopping Monalisa, você vai encontrar uma grande variedade de produtos internacionais, alimentos e bebidas, acessórios, eletrônicos e acessórios de informática, produtos esportivos, joias e relógios, moda (vestuário, calçados, bolsas e acessórios), perfumes e cosméticos.

Aliás, você vai encontrar perfumes na Lafayette, na Monalisa, na Sax e em muitos outros lugares. Perfume é o que não falta no Paraguai.

Mas lembre-se de resistir aos preços tentadores dos camelôs nas ruas, pois 99% dos seus produtos são falsificações.

Dica: Para comprar produtos da Victoria’s Secret, procure a loja Elegancia Company.

Para aqueles interessados em produtos e consoles de videogame, as lojas mais famosas e com os melhores preços são Play Game, Millenium e TV Game.

Veja aqui uma lista completa de boas lojas para compras no Paraguai. As melhores são aquelas que estiverem com estrelinhas.

Clique no número ao lado delas e veja o que as pessoas falam sobre cada uma.

Vai mesmo para o Paraguai?

A menos que você more a poucos quilômetros da fronteira, eu não recomendo ir até o Paraguai para fazer suas compras.

A Receita Federal está cada vez mais rigorosa com as mercadorias que entram no Brasil por lá, pelo fato de desconfiarem muito do tráfico de drogas, constante na região.

Dessa forma, se você mora longe da fronteira, não recomendo que compre do Paraguai; são grandes as restrições de quantidade de produtos que a Receita impõe.

Mas, como tudo é relativo, se as compras no Paraguai são extremamente vantajosas para você, por que não comprar?

Só se lembre, antes de tudo, de que compras para revenda são sempre tributadas em 50%.

Dicas para quando chegar no Paraguai



Conclusão

Fazer suas compras no Paraguai pode ser uma boa opção, assim como importar da China.

Mas é bom estar atento aos perigos dessa escolha, pois a fiscalização da Receita naquela região é muito grande.

Não sou especialista no assunto, mas tentei reunir informações importantes para quem quer viajar para o Paraguai.

Vamos então rever algumas partes importantes do texto:

Impostos cobrados em compras no Paraguai

A Receita Federal cobra impostos para compras em viagens terrestres, e o valor máximo de isenção é de US$300.

Para todo valor que ultrapassar esse limite, será cobrado um tributo de 50%.

Formas de pagamento

Para quem volta pela Ponte da Amizade, o pagamento do imposto é feito em uma agência bancária na aduana do lado brasileiro, da mesma forma que a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA).

O formulário poderá ser fornecido pelo transportador, pela agência de viagem ou então obtido nas alfândegas.

Voce pode ver mais detalhes nesse link.

Todos os bens adquiridos no exterior cujos valores excedam a cota de isenção devem se declarados na DBA.

Bens adquiridos em free shops no local onde a bagagem será examinada pela alfândega não devem ser relacionados na DBA.

Animais, plantas, sementes, alimentos, medicamentos, armas e munições serão retidos e somente liberados após manifestação do órgão competente.

Entrevista sobre os “Bens de Uso Pessoal” no Paraguai:

Menores de idade

Menores, acompanhados ou não, também têm direito à cota de isenção, mas não poderão trazer bebidas alcoólicas, fumo, cigarros e similares.

No caso de menores de 16 anos acompanhados, bastará a declaração o pai ou responsável.

Isenção de impostos

Não há impostos de importação para bagagens que você portar consigo, identificadas pelo ticket de bagagem fornecido pelo transportador no momento do embarque e que se constituam de:

– Roupas e outros artigos de vestuário, artigos de higiene, beleza ou maquiagem e calçados, para uso próprio, em quantidade e qualidade compatíveis com a duração e a finalidade da permanência no exterior.

–  Livros, folhetos e periódicos em papel.

– Outros bens, novos ou usados, cujo valor global não exceda a cota de isenção, que é de US$500 (para viagem aérea ou marítima) ou de US$300 (para viagem terrestre, fluvial ou lacustre), ou o equivalente em outra moeda.

Observação: A bagagem despachada pelo correio ou como carga, ainda que transportada no mesmo veículo que você, está sujeita a pagamento de impostos e não tem direito à cota de isenção.

Ela somente está dispensada do pagamento de impostos quando for composta exclusivamente por roupas, objetos pessoais usados, livros, folhetos e periódicos.

Uma multa de 50% será aplicada sobre o valor excedente à cota de isenção dos bens quando o viajante apresentar DBA falsa ou inexata.

Bagagem extraviada

Quando houver extravio de bagagem, o viajante deverá solicitar registro da ocorrência ao transportador no momento do desembarque e procurar a alfândega para visar esse registro, a fim de assegurar o direito à sua cota de isenção.

Compras em free shops

Os bens comprados em free shops, no exterior ou em outro aeroporto no Brasil, diferente daquele onde a bagagem será examinada pela alfândega, não estão dispensados do pagamento dos impostos.

Não é exigido pagamento de impostos no caso de bens adquiridos em free shops quando, cumulativamente:

  • Seu valor total for de até US$500.
  • Forem adquiridos em lojas do aeroporto onde a bagagem será examinada pela alfândega brasileira no desembarque.
  • Estiverem limitados às quantidades especificadas, no caso dos seguintes bens:
  • 24 unidades de bebidas alcoólicas, observado o quantitativo máximo de 12 unidades por tipo de bebida.
  • 20 maços de cigarros de fabricação estrangeira.
  • 25 unidades de charutos ou cigarrilhas.
  • 250g de fumo preparado para cachimbo.
  • 10 unidades de artigos de toucador.
  • 3 unidades de relógios, brinquedos, jogos ou instrumentos elétricos ou eletrônicos.

Bens que não podem ser trazidos como bagagem

  • Objetos destinados a revenda ou a uso industrial.
  • Automóveis, motocicletas, motonetas, bicicletas com motor, traillers e demais veículos automotores terrestres.
  • Aeronaves.
  • Embarcações de todo tipo, motos aquáticas e similares e motores para embarcações.

Produtos proibidos para importação

  • Cigarros e bebidas fabricados no Brasil mas destinados à venda exclusiva no exterior.
  • Bebidas alcoólicas, fumo, cigarros e semelhantes, quando trazidos por viajante menor de 18 anos.
  • Substâncias entorpecentes ou drogas.
  • Bens ocultos com o intuito de burlar a fiscalização.

Observações:

  • A esses bens, aplica-se a penalidade de perdimento. Ou seja, eles serão apreendidos pela alfândega, e o viajante ficará sujeito a representação fiscal para fins penais.
  • viajante somente poderá utilizar a cota de isenção uma vez a cada 30 dias.
  • O direito à cota de isenção é pessoal e intransferível, não sendo admitida soma ou transferência de cotas entre os viajantes, ainda que membros da mesma família.

Lojas do Paraguai

  • Compubras
  • Naveshop
  • Casa China
  • Casa Nippon
  • Americanas
  • Elegancia Company
  • Lafayette
  • Play Game
  • Millenium
  • TV Game

Shoppings no Paraguai

  • Shopping del Este
  • Sax
  • Monalisa

Recomendo que você leia mais sobre o assunto no site da Compra no Paraguai e se for varejista, clique aqui.

Contatos no Paraguai

Se estiver no Paraguai e precisar de ajuda, procure o consulado brasileiro em Ciudad del Este na rua Pampliega 205 ou pelo telefone: 561-500-984.

Se estiver na Argentina, você poderá ser auxiliado pelo consulado brasileiro em Puerto Iguazu, que fica na avenida Córdoba 264, ou pelo telefone: 557-421-348.

Você pode também contatar a Secretaria Municipal de Turismo de Foz de Iguaçu, cujo telefone é 0800-45-1516. A aduana de Foz do Iguaçu agora funciona 24h.

Para maiores informações, visite o site da Receita Federal neste link ou ligue para o telefone da Receita Federal em Foz do Iguaçu: (0xx45) 3528-0131.

Ufa! É isso, pessoal.

Entendo que há muita informação neste artigo. Por isso mesmo, peço que compartilhe sua opinião nos comentários e não se esqueça de se inscrever em nossa lista de e-mails para receber novos artigos.

Até a próxima!

Você Gostou deste Post

Clique nas estrelas para avaliá!

Classificação média / 5. Contagem de votos:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here