Cursos de importação – Vale apena ou é apena uma ilusão? A verdade que ninguém te conta

Escrito por Giliard Mast Categoria:

Como importar

Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Os cursos de importação estão em alta. Mas será que são um bom investimento?

Neste artigo, vou deixar minha opinião sincera sobre os cursos de importação vendidos pela internet.

Hoje temos vários cursos de importação online: há aqueles que são gratuitos e aqueles que são pagos, mas eu vou me referir aqui apenas aos cursos pagos.

Com o passar dos anos, o processo de importação passou por várias modificações. Métodos que funcionavam em 2017 agora, em 2018, não funcionam mais.

Isso me faz levantar uma questão:

Será que os métodos para importar e ganhar dinheiro, de que tanto falam os cursos de importação, ainda funcionam?

Será que todos os alunos têm o suporte necessário para acompanhar essas atualizações?

Será que ainda dá para ganhar dinheiro vendendo produtos importados?

Primeiramente, você deve entender que importar para ganhar dinheiro não é tão fácil como mostram os cursos.

Afinal, a internet está cheia de métodos milagrosos para ficar rico da noite para o dia sem muito trabalho.

Não vou dizer que é impossível ganhar dinheiro importando: eu e alguns amigos importamos para revender e até temos um bom lucro com isso.

Mas a maneira como isso é mostrado nos cursos me deixa muito incrédulo.

Muitos desses cursos estão cheios de jogadas de marketing, que são usadas para convencer você a comprar.

Frequentemente recebo propostas para divulgar cursos aqui no blog, e me é oferecido até 50% do valor do lucro.

Poderia ser até uma boa para ganhar um dinheiro a mais, mas não quero iludir meus leitores, então não vou divulgar algo em que não acredito.

Se eu divulgar algum curso aqui na Escola Importar, é porque conheço seu conteúdo e vejo que realmente tem algo a acrescentar.

O conteúdo dos cursos de importação

cursos de importação online

Eu já vi os cursos de importação mais famosos da internet. Alguns eu até compro para ver se têm alguma novidade, mas, para a minha decepção, todos eles são praticamente iguais.

Na verdade, muitos dos conteúdos desses cursos são tirados da Escola Importar e do Compra no exterior.

Somos os primeiros blogs a falar abertamente sobre importação no Brasil.

Antes não havia nada, importar era um conhecimento guardado a sete chaves.

Em 2013 começou essa infestação de cursos de importação, todos com o mesmo conteúdo, o qual pode ser encontrado gratuitamente aqui na Escola Importar.

Não vejo necessidade de comprar um curso, a não ser que você seja uma pessoa que não gosta de ler, pesquisar e estudar.

Um curso de importação pode ser até útil nesse caso, mas o que você não sabe é que o conteúdo dos cursos dá apenas um direcionamento: o resto fica por sua conta.

A partir desse momento, você terá que pesquisar, ler, estudar para tirar todas as dúvidas, já que o suporte desses cursos deixa a desejar.

É aí que muitos se deparam com nossos conteúdos e ficam com raiva por ter pagado por algo que já existia de graça.

Ainda descobrem que o que foi ensinado no curso que compraram não funciona mais, simplesmente porque o conteúdo dos cursos está desatualizado, bem como seus métodos.

Muitos alunos desses cursos vieram a mim com várias dúvidas, e muitos deles estavam se sentindo enganados.

O principal motivo de as pessoas se frustrarem com cursos de importação é todo mundo querer uma receita de bolo, uma coisa fácil.

Saiba que não existe um caminho fácil para o sucesso.

“A diferença entre uma pessoa de sucesso e outras não é a falta de força, não é a falta de conhecimento, mas sim a falta de vontade.” – Vince Lombardi

Antes de comprar qualquer coisa, seja um curso ou um produto, pesquise, obtenha o máximo de informação possível.

Não se deixe iludir por propagandas de marketing, procure por referências sérias.

Nada é tão bom que não tenha críticas.

Se você viu um, viu todos

Isso é bem verdade: o conteúdo dos cursos a que tive acesso eram 99% iguais.

As diferenças, quando existem, estão basicamente concentradas na forma como a informação é apresentada, e não na informação em si.

Tudo não passa de uma colagem de conteúdos diversos que já estão pela internet em sites especializados, como a Escola Importar.

Os cursos de importação ensinam apenas o básico.

Muitos deles dão a impressão de que vão ensiná-lo a encontrar um produto maravilhoso, e que você vai ganhar rios de dinheiro com ele.

Lembro de um curso que mostrava como comprar produtos da marca Aussie baratos para revender.

Centenas de pessoas compraram esse curso pensando que ele mostraria outros produtos com alta lucratividade.

No final, muita gente se frustrou, porque aquilo era só uma jogada de marketing.

O curso tinha os mesmos conteúdos da Escola Importar e do Compra no Exterior.

Eles não ensinavam a procurar bons produtos, usavam apenas a Aussie como exemplo, mostrando ao público que dava para ganhar dinheiro importando.

Pouquíssimas pessoas têm o trabalho de procurar produtos com alta lucratividade.

As pessoas querem tudo fácil, por isso são facilmente iludidas por cursos de importação.

Para ganhar dinheiro com importação, é necessário muito estudo, paciência e perseverança, porque é difícil achar um bom produto. Além disso, você terá que saber vendê-lo.

Tenho um amigo que ganha muito bem importando cabelo humano.

Eu não saberia vender esse produto, simplesmente porque não sei nada sobre ele e, mesmo se soubesse, não saberia para quem vender.

Como esse meu amigo trabalha com produtos de salão, ele viu e aproveitou a oportunidade.

Na minha sincera opinião, você só deve comprar um curso de importação se realmente tiver pressa em aprender o básico.

Mas se quiser ganhar dinheiro importando, terá que pensar fora da caixa.

Vou contar um segredo: muitas dessas pessoas que vendem cursos sequer ganham dinheiro vendendo produtos importados, elas ganham dinheiro vendendo os próprios cursos.

Todo curso é baseado na experiência de outras pessoas, não passa de uma jogada de marketing.

Não estou generalizando, alguns desses vendedores podem, sim, ter experiência, mas o modo como isso é empregado na internet me deixa muito triste.

Quantas pessoas foram levadas a acreditar que era fácil ganhar dinheiro importando e se decepcionaram com isso!

Muitas das técnicas empregadas nesses cursos estão desatualizadas e não funcionam mais. Em 2018, muita coisa mudou.

Aqui na Escola Importar eu procuro manter todos os posts atualizados.

Se você quer aprender a importar com sucesso, não precisa de cursos de importação, basta acompanhar nosso conteúdo.

Se você é iniciante e não sabe por onde começar, pode começar pelo nosso blog.

Cursos de importação Simplificada: Vale a pena comprar?

Cursos de importação vale a pena

Cursos sobre importações podem ser extremamente úteis ou totalmente desnecessários, isso depende do seu motivo para comprá-los.

Para mim, os cursos são interessantes para quem espera agilidade, tudo mastigado (às vezes mastigado até demais).

Se seu objetivo é apenas comprar aquela camisa de marca, ou mesmo um pequeno presente para alguém, eu não recomendo que você gaste dinheiro com cursos de importação.

Antes de comprar, pense o seguinte: você pagaria de R$200 a R$300 em um curso cujo conteúdo pode ser encontrado facilmente na internet?

É possível ganhar importando?

Sim, é possível ganhar dinheiro importando, mas essa renda vai depender da sua dedicação e da sua habilidade como vendedor.

Você pode iniciar importando produtos e revendendo para amigos e conhecidos. Foi assim que comecei. É a maneira mais fácil e barata.

Eu comprava roupas, bijuterias, maquiagens, suplementos e alguns eletrônicos, e minha esposa vendia para amigas do trabalho e da faculdade e para conhecidos do Facebook.

Mesmo com todo o conhecimento que tenho sobre importação, não sou um bom vendedor, por isso deixo essa parte por conta dela.

Comprar um curso de importação não vai fazer você ganhar dinheiro, mas suas habilidades com vendas, vai.

Mas nenhum curso de importação vai ensinar você a fazer isso.

Algumas pessoas preferem vender online. Muitos cursos até indicam isso, já que você não precisa ter contato direto com o cliente. Mas vender online exige outras habilidades e, principalmente, dinheiro.

Venda online gera mais custo. Para vender no Mercado Livre, por exemplo, você terá que pagar uma comissão ao site.

Além disso, estará concorrendo com outros vendedores experientes e, para competir com esses vendedores, terá que fazer anúncios dentro da própria plataforma.

Não se iluda com cursos que mostram seus criadores ganhando rios de dinheiro e viajando pelo mundo.

Muitas vezes, esse dinheiro vem justamente pelas vendas de cursos, e não da venda de produtos importados.

Isso tudo faz parte das técnicas de vendas empregadas nos cursos, que querem que você fique convencido de que pode atingir o mesmo sucesso que seu criador.

Você pode, sim, ter excelentes resultados, mas esqueça um pouco da propaganda quando decidir comprar um curso.

Cursos de importação fazem tudo parecer mais fácil

Cursos de importação

Cursos de importação têm essa característica de tentar transformar operações complicadas e com grande possibilidade de insucesso em tarefas simples, que sempre dão certo.

Você já deve ter notado que todos os vídeos de cursos usam a importação de roupas como altas fontes de lucro, mas a coisa não é bem assim.

Muitas lojas de grife, como a Hollister e a Abercrombie, têm o controle total de suas vendas e por disso não facilitam vendas em quantidades que caracterizem comércio.

Se você comprar muitas vezes na loja, e ela entender que você está comprando para revender, “GAME OVER”: você vai ficar bloqueado e não conseguirá mais comprar deles.

Já tivemos alguns relatos de pessoas com as quais isso aconteceu.

Além disso, a Hollister e a Abercrombie não enviam mercadorias para redirecionadores de encomendas como Shipito, Qwintry ou outros.

E não adianta usar técnicas para mascarar o endereço do redirecionador. Isso pode até funcionar algumas vezes, mas logo a loja identifica o truque e bloqueia você, aí seu negócio vai pro brejo.

O que acontece é que essas lojas têm política de preços diferentes para consumidores americanos e brasileiros. No caso das vendas para consumidores americanos, os preços são menores.

Sabendo disso, muitos usam um mascarador de IP para ver os preços americanos.

Mas se você comprar, e a loja identificar que você não está nos Estados Unidos, ela vai cancelar a compra. Isso pode ser facilmente detectado através do cartão de crédito ou do PayPal.

Há pessoas que compram nas lojas físicas e revendem no Ebay e na Amazon USA . Apesar de ter poucas opções, elas podem, sim, ser roupas originais, mas também podem ser réplicas.

Nesse caso, o cuidado deve se em dobro: desconfie de preços menores que os da loja.

Outro detalhe: é preciso ter cuidado ao comprar essas marcas de fornecedores chineses e peruanos, pois a grande maioria é réplica, umas muito boas e outras, nem tanto.

É verdade, essas marcas têm fábricas no Peru, mas isso não quer dizer que os peruanos têm acesso a elas facilmente ou por menor preço.

As fábricas não têm permissão de distribuir as marcas dentro do próprio país.

Como essas marcas têm essa política de ser muito controladoras, evitando a todo custo que pequenos fornecedores consigam comprar em quantidade suficiente para revenda, sempre que encontrar alguém nesses países vendendo em grandes quantidades, desconfie.

Para finalizar, eu gostaria de falar que, para comprar Hollister, Abercrombie e outras marcas de grife, existem muitas dificuldades, e o custo, dependendo de sua escolha, pode ser relativamente alto.

Ao assistir a um vídeo de um curso de importação em que o autor compara um produto vendido no Brasil com o mesmo produto vendido no exterior, sei que a maioria das pessoas fica impressionada com a diferença de preço e vê uma grande oportunidade de lucro.

Mas eu observei alguns detalhes, nesses vídeos, que passam despercebidos aos olhos de um leigo:

  1. Eles usam o dólar comercial, enquanto os cartões de crédito e o boleto usam o dólar turismo, que é mais caro que o comercial, o que já dá uma boa diferença de preço.
  2. Não levam em consideração o IOF e a taxa dos Correios.
  3. Não levam em consideração a comissão do Mercado Livre e de outras plataformas.
  4. Não mostram a dificuldade em importar em quantidade.
  5. Não calculam o tempo que leva até o recebimento da mercadoria, período no qual seu investimento vai estar parado (e que pode levar meses).

Como eu disse, importar para ganhar dinheiro não é fácil. É um processo lento e difícil, mas possível se você tiver paciência, algum dinheiro para começar e conhecimento.

Não estou aqui para comentar nenhum curso em particular

Primeiro quero deixar claro que estou me referindo a compra de cursos de importação por pessoa física, e não a cursos para importação empresarial.

Não estou aqui para julgar se o curso de importação A é melhor que o curso B. Como eu falei ao longo deste artigo, todos eles são muitos parecidos.

Os cursos de importação não são ruins, mas sua utilidade vai depender do motivo que você tem para comprá-los.

Como eu disse acima, todas as informações dos cursos estão disponíveis gratuitamente na internet, mas se você não gosta de ler e quer tudo mastigado, comprar um curso de importação pode ser uma boa.

No entanto, não posso garantir que todo o conteúdo seja atualizado. Acompanhar essas atualizações e gravar vídeos sobre elas pode ser um tanto trabalhoso, já que as técnicas de importação estão em constante mudança.

Aqui na Escola Importar, eu procuro sempre atualizar os artigos mais antigos, já que não quero passar informações ultrapassadas, que não são mais úteis.

Tenha um plano de negócios

plano de negócios

Muitas pessoas me pedem para indicar cursos de importação, mas, como eu disse acima, se você é pessoa física é que importar para revender, todo o conteúdo necessário para você importar e vender está disponível gratuitamente na internet.

O primeiro passo é criar um plano de negócio.

Existem vários vídeos no YouTube que ensinam a criar um. Com um plano de negócio, você terá uma ideia do que precisa fazer para que o negócio dê certo.

Quem pensa que um plano de negócio é só para grandes empresas está enganado(a). Mesmo se você for um vendedor de pipoca na porta de um colégio, ter um plano de negócio é fundamental.

Muitas pessoas pulam esse passo, e acabam vendo seus sonho descendo pelo ralo.

Então, antes de montar qualquer negócio, seja a venda de produtos importados, e-commerce ou uma empresa física, você tem que fazer um plano de negócio.

Cursos com conteúdo de alta qualidade que eu fiz e indico

Quem me acompanha aqui no blog sabe que eu só indico algo que conheço e com que tive boas experiências, que eu sei que pode proporcionar ao meu leitor algo de qualidade.

Por isso, vou listar aqui alguns cursos que eu fiz e que realmente ensinam informações úteis.

Todos os cursos têm garantia de 30 dias. Se você não gostar, basta solicitar o reembolso. Tudo é automático, então não tem burocracia.

Os cursos indicados aqui são complexos, e é necessário que você tenha uma reserva de dinheiro. Não muito, mas o suficiente. Eles oferecem um conteúdo diferenciado, que você não vai encontrar tão fácil na internet.

Importar da China para Empresas: Ministrado por Rodrigo Giraldelli, consultor de importação para mais de 50 empresas e proprietário da ChinaGate, empresa com escritório no Brasil e na China.

Esse é um ótimo curso, voltado para empresários e pessoas que desejam montar um negócio próprio. É um curso indicado para pessoas que tenham um bom capital para investir, já que a importação empresarial tem muitos custos. Mas também dá muito lucro.

Clique aqui para participar de uma aula gratuita.

Viver de Ecommerce: Esse é um ótimo curso, e mostra que montar um ecommerce profissional não é tão simples, que existem várias etapas e técnicas a ser seguidas para você obter sucesso com seu ecommerce.

Na minha opinião, esse curso serve como complemento para o curso de importação empresarial, porque não adianta você investir pesado na importação e não ter o meio para vender.

O nível do curso é razoável e os custos são baixos, se comparados com os outros cursos indicados aqui, mas você deve estudar muito e prestar muita atenção ao conteúdo, porque são muitos pequenos detalhes.

Clique aqui para saber mais sobre o curso Viver de Ecommerce.

Negócio de 4 Rendas: Já disse alguma vezes que fazer dropship com produtos do exterior não vale a pena, mas é diferente se você pudesse montar uma loja virtual e vender produtos sem estoque e com fornecedores nacionais.

Pode parecer uma proposta muito boa, mas o nível de dificuldade é enorme. Mesmo assim, algumas pessoas tiveram sucesso e conseguiram criar seu negócio online.

Tudo vai depender do seu planejamento, do seu capital (isso mesmo, você precisa ter dinheiro) e da sua força de vontade para estudar muito.

Clique aqui para saber mais sobre o curso Negócio de 4 Rendas.

Vendedor Online Internacional: Esse é um curso voltado para pessoas físicas e empresas que querem montar um negócio fora do Brasil com a venda de produtos na Amazon americana.

Quando vi pela primeira vez, fiquei com o pé atrás, mas como eu sabia que a Amazon permite que pessoas físicas e lojistas vendam na sua plataforma, resolvi arriscar.

Depois de fazer esse curso, busquei me aprofundar mais sobre o assunto. Hoje posso dizer que é um curso muito bom, apesar de bem complexo, por conta das regras da Amazon.

A técnica consiste em comprar produtos em lojas dos Estados Unidos que oferecem descontos generosos e revendê-los na Amazon e no Ebay.

Para você ter ideia, nessa semana eu comprei um produto na Macys por US$15 e o vendi por US$50 na Amazon.

As lojas dos Estados Unidos frequentemente dão descontos que chegam a 70% do valor real do produto, e você pode aproveitar para revendê-lo mais caro depois.

Clique aqui para saber mais sobre o curso Vendedor Online Internacional.

Private Label: Do mesmo autor do Vendedor Online Internacional, esse curso ensina a criar um produto na China com sua própria marca e vendê-lo na Amazon americana.

Funciona da seguinte maneira: você entra em contato com um fabricante na China, contrata a fabricação de um produto e pede para colocar sua marca nos produtos e na embalagem.

Mas por que vender na Amazon americana?

Os impostos nos Estados Unidos são bem baixos, no máximo 10%, sem contar que existe uma exceção de imposto de importação de US$2.500, uma realidade muito diferente da do Brasil.

Nota: Sobre os impostos, pode haver alguma alteração devido à atual briga entre China e Estados Unidos.

Por isso, importar da China e enviar para os Estados Unidos vale muito a pena. Em contrapartida, é um processo bem complexo e você deve ter bastante cuidado.

Clique aqui para saber mais sobre o curso Private Label.

Considerações finais

Uma das belezas da internet é a imensa quantidade de conteúdo útil disponível.

Existem centenas de bons cursos online. Entretanto, existem milhares de péssimos cursos online.

Não se deixe levar por promessas de ganho de dinheiro rápido e de que é um processo fácil, isso não existe! Quem quer ter um negócio hoje, tem que matar um leão com as mãos nuas, todos os dias.

Muito cuidado com as técnicas de marketing. Procure referências sobre os cursos e ignore artigos que só falem bem deles, como se tudo fosse uma maravilha.

Não estou dizendo que cursos online são ruins. Como já disse, muito deles são ótimos, mas tudo vai depender de você. Então planeje, estude, renove e tenha sempre algum dinheiro de reserva.

Gostaria de saber sua opinião sobre os cursos de importação, você já fez algum? O que falta neles?

SIGA A ESCOLA IMPORTAR NO FACEBOOK

E receba grátis conteúdo atualizado de importação da China e USA

Conecte-se Comigo